Verba de Estádio para Copa foi usada para Comprar Jogador?

11 de mar de 2014


Interrompemos nossa programação para uma notícia estranha:

Empresa criada pelo Atlético Paranaense para cuidar da construção da Arena da Baixada teria repassado R$ 1,5 milhão a outro clube para a compra de um jogador, segundo a Folha de São Paulo.



Você sabia que a Arena da Baixada (estádio do Atlético-PR) era considerado o estádio "mais pronto" para a Copa do Mundo? Ele só ia precisar de uma reforma e adaptações...

Pois é, acredite ou não, hoje ele é o estádio mais atrasado para a Copa do Mundo. E Curitiba correu o risco, durante semanas esse ano, de ser excluída da Copa por causa disso.

E o pior vem agora:

Segundo reportagem da Folha de S. Paulo, a CAP S/A, empresa criada pelo Atlético Paranaense para construir o estádio, teria transferido em dezembro do ano passado R$ 1,5 milhão para o time Vitória, da Bahia, para a compra de um jogador.

Embora não se saiba com certeza se esse montante utilizado na contratação (que acabou nem sendo concluída) veio dos financiamentos públicos que a empresa recebeu ou do próprio clube, o fato é que a CAP não poderia ter usado o dinheiro que era destinado exclusivamente às obras do estádio.


As obras na Arena da Baixada receberam R$ 226,4 milhões de dinheiro público. Deste valor, R$ 131,1 milhões foram captados via financiamento do BNDES e o restante foi conseguido em empréstimo do governo estadual. Outros R$ 38 milhões são do clube Atlético-PR.

E aí, foi ou não foi?

CONFIRA AQUI A REPORTAGEM PUBLICADA NA FOLHA DE SÃO PAULO

Blog Widget by LinkWithin